Quando é necessário um Cuidador Familiar para o Idoso Dependente

As seguintes dicas práticas podem amenizar o impacto negativo da situação de dependência, contribuem para a saúde e conforto do idoso e para que o  familiar se sinta mais tranquilo  e seguro que “está cuidando bem” de seu ente querido.  

A tarefa do cuidar de um idoso, principalmente se executada por um membro da família, não é tarefa fácil, pois as necessidades de atenção  se misturam com as  relações afetivas.

Cuidadores Familiares não costumam  fazer cursos, pois é compreensível não se  imaginar como um cuidador de pais, esposos ou outro membro da família quando estes envelhecem e se tornam dependentes.

As seguintes dicas práticas podem amenizar o impacto negativo da situação de dependência, contribuem para a saúde e conforto do idoso e para que o  familiar se sinta mais tranquilo  e seguro que “está cuidando bem” de seu ente querido.

Hidratação do idoso

Ofereça água a cada meia hora!

A percepção de sede no idoso é naturalmente reduzida.  A dica é não encher o copo, mas sim oferecer pequena quantidade de água em intervalos curtos. Isso evita a recusa e ameniza as idas frequentes ao banheiro

A falta de apetite e de sede são condições que geram muita angústia em cuidadores. Apesar disso, essa recusa deve ser respeitada em situações de fim de vida. Por isso, oferecer refeições e água de forma fracionada, em pequenas quantidades e com horários flexíveis são medidas que podem amenizar a recusa do idoso e sentimento de angústia do cuidador

 

Alterações homeostáticas

Sensação de frio ou calor são geralmente alterados. Acredite e respeite.

Os sistemas homeostáticos envolvem nossos órgãos e são responsáveis pela auto-regulação do nosso corpo que ajudam a manter um equilíbrio quando há alterações externas (temperatura, pressão, níveis de sódio e açúcar  no sangue…). Esse equilíbrio se traduz no controle da pressão e da temperatura corporal, na reserva de água e no volume de urina produzida pelos rins.

O processo natural do envelhecimento torna os sistemas homeostáticos vulneráveis e isso explica queixas de frio e calor desproporcionais, a maior propensão à desidratação e até mesmo a ausência de febre em situações de infecção.

Por isso, um alerta importante é o  cuidado com a temperatura da água do banho, das bebidas, da comida e a percepção de queda do estado geral e confusão mental, mesmo sem evidência de febre. 

 

Hipotensão postural

Oriente e ajude o idoso a se  levantar da cama devagar.

A hipotensão postural é muito comum e é decorrente de uma série de fatores ( alteração dos mecanismos de manutenção da pressão e do equilíbrio corporal, interferência de medicações e de doenças). Essa condição tem muito impacto na qualidade de vida do idoso e é um grande fator para quedas. Por isso , é extremamente importante observar a frequência de tontura e desequilíbrio ao se levantar.

Velocidade das ações e da marcha

A medida que envelhecemos, perdemos fibras musculares de ação rápida e os reflexos que o cérebro emite e recebe se tornam lentificados. Isso explica a lentidão da marcha e a dificuldade do corpo responder de forma imediata quando solicitado, bem como de restabelecer o equilíbrio. Além disso, a pessoa sedentária na fase jovem e adulta sofre mais o impacto dessas alterações naturais do envelhecimento

Boas dicas são jamais comparar um idoso com outro, respeitar o seu ritmo e ajudar sempre que necessário, a fim de evitar quedas e outros acidentes.

Pele ressecada

Mantenha a pele do idoso hidratada com gotas de óleo, como o óleo de coco e preparações  terapêuticas , que poderão estar misturados ao creme hidratante. Isso evitará rupturas dérmicas nas áreas de proeminências ósseas.

Fragilidade da pele

Evite fazer força ao segurar o idoso em partes vulneráveis a lesões, como braços e pernas.

O idoso tem naturalmente a pele mais frágil, suscetível a hematomas, bolhas e rompimento da integridade da pele mesmo aos mínimos traumas.

Fragilidade dos ossos e ligamentos

Ao oferecer suporte físico ao idoso procure segurar em partes mais estáveis, como o tórax ou quadril.

Devido à fragilidade do corpo como um todo, todo cuidado é importante. Uma fratura por pressão ou uma ruptura de ligamentos pode ser algo fácil de acontecer.

Banho de sol

É recomendável o  banho de sol de  até 10 minutos por dia e em horários adequados (entre 8h e 10h e após 16h). Essa prática é favorável e agradável. A pele do idoso é sensível e essas orientações evitam queimaduras.

Vigília e Sono

São comuns as queixas de insônia com o avançar da idade. É natural uma redução das horas de sono profundo, com despertares noturnos e cochilos diurnos. Há idosos que se adaptam bem a esse ritmo, porém as queixas de sono não reparador e redução do bem estar durante o dia são frequentes.

Medidas simples que juntas se chamam higiene do sono, podem amenizar a insônia: ambiente calmo e silencioso desde o anoitecer, evitar barulho e programas de televisão que despertam emoções, utilizar-se de música calma, chás e leite morno próximos do ato de deitar-se. Além disso, ser flexível com os  cochilos diurnos.

 

 

Projeto Cuidar

 

Geriatra

 

– Dra. Jaqueline Souza Lacerda

CRM-GO: 18043 RQE: 12041

Consultas e visitas domiciliares: (62) 3086-1517

Endereço: Clínica Supere – Rua 13, nº 19, Setor Oeste – Goiânia – Goiás.

CEP: 74120-060

 

 

Redes Sociais:

Facebook

Instagram

G+

Twitter

Tumblr

Youtube

 

# Geriatria Goiânia # Geriatra Goiânia # Geriatria Goiás # Geriatra Goiás

Avalie esta postagem
Mostre mais

Dra. Jaqueline Souza Lacerda

Dra. Jaqueline Souza Lacerda é Médica Geriatra.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *